Data da ultima atualiza�ao
Pulmonar - Pela sua Saúde Respiratória - Leitura 03/08/2012



Notcias

Casa de fumante: um perigo at mesmo para quem no fuma
Viver na mesma casa de um fumante ativo é um risco à saúde de qualquer um. Mesmo quem jamais colocou um cigarro na boca, está sujeito a inalar fumaça de derivados do tabaco, o que, além de prejudicial, não é exatamente agradável.

Segundo especialistas, o ar da residência de um fumante usual contém três vezes mais nicotina, monóxido de carbono, e até cinqüenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que entra pela boca do usuário após passar pelo filtro do cigarro. Vale destacar, aliás, que indivíduos que inalam fumaça por tabela são mais prejudicados, pois ela não passa por qualquer processo de filtragem. É público também que os dois componentes principais da poluição tabagística ambiental são a fumaça exalada pelo fumante (corrente primária) e a que sai da ponta do cigarro (secundária).

“Não interessa quem acendeu o cigarro, o que interessa é quem inalou a fumaça”, alerta o Dr. Sergio Ricardo Santos, pneumologista e Presidente da Comissão de Tabagismo da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

No mundo estima-se que mais de um terço da população mundial, isto é, um bilhão e quatrocentos milhões de pessoas são fumantes. Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam.

Riscos à saúde

Os fumantes passivos podem sofrer quase os mesmos males que os fumantes ativos. São doenças divididas, basicamente, em três grandes grupos: cancerígenas, cardiovasculares e respiratórias. As que mais os atingem são as respiratórias causadas pela poluição tabagística ambiental.
Um tabagista prejudica o cônjuge, os filhos e os demais moradores de sua casa ao fumar ao lado deles. Em bebês expostos à fumaça, o risco de morrer subitamente sem nenhuma causa aparente é cinco vezes maior (Síndrome da Morte Súbita Infantil); também poderão sofrer doenças pulmonares, já que os pulmões não estão totalmente formados, adverte o dr. José Eduardo Delfini Cançado, Presidente da SPPT.
Sintomas mais imediatos também atingem os fumantes passivos, como a tosse, irritação nos olhos, cefaléia, manifestações nasais, aumento de problemas alérgicos (principalmente nas vias respiratórias) e o aumento de problemas cardíacos.

Onde encontrar ajuda

Os centros públicos de tratamento do tabagismo no município de São Paulo são em sua grande maioria vinculados a universidades ou hospitais públicos. Um deles é o PrevFumo (Núcleo de Apoio à Prevenção e Cessação do Tabagismo), da disciplina de Pneumologia da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo). Os interessados devem entrar em contato pelo telefone (11)5904-8046.  Já no Complexo do Hospital das Clínicas existe atendimento especializado antitabagismo para pacientes que se tratam no hospital, o mesmo acontecendo no Hospital do Servidor Público Estadual e outros.

Pulmonar - A SPPT, sempre prestando serviços ao seu público, abre espaço em seu site www.pulmonar.org.br para prestação de serviços à comunidade. Ele traz aos cidadãos todo o tipo de conhecimento sobre as doenças respiratórias e pulmonares. Também dispõe de dicas de hábitos saudáveis, prevenção e cuidados para cuidar da saúde As dicas do portal Pulmonar, assim como seu conteúdo, não substituem o acompanhamento médico.
 

Voltar

© 2017 www.sppt.org.br - Este site é mantido pela Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia
O conteúdo publicado neste site possui caráter meramente informativo. as informações aqui publicadas não devem ser usadas para a execução de diagnósticos, procedimentos ou tratamentos sem prévia orientação médica.
Consulte sempre o seu pneumologista.

Itarget