Data da ultima atualiza�ao
Pulmonar - Pela sua Saúde Respiratória - Leitura 03/08/2012



Notcias

No se engane, cigarro eletrnico txico

Agora, que alguns estados brasileiros assumiram seu pepel no controle do tabagismo com a instituição de ambientes 100% livres de cigarro, surgiram novas formas de manter o vício.

O cigarro eletrônico foi desenvolvido e é vendido na China desde 2004 e, de forma ilegal, em outros países incluindo o Brasil. E veiculado como terapia para parar de fumar porque o usuário não tem de acender para fumar.

Os cigarros eletrônicos, que são chamados de "e-cigarros", são operados por meio de baterias recarregáveis que contêm cartuchos preenchidos com nicotina, diferentes sabores e diversas substâncias químicas ainda não totalmente conhecidas.

Quando operados, os cigarros eletrônicos transformam a nicotina e as outras substâncias químicas em vapor que é inalado pelo fumante e absorvido nos pulmões. Eles parecem cigarros e os usuários aspiram como em um cigarro de verdade.

Como estes produtos não são regulados, a composição exata é desconhecida, mas libera nicotina, que é substância altamente aditiva.

O cigarro eletrônico funciona da seguinte maneira:

    * O usuário inala através de um bucal.
    * O fluxo de ar estimula um sensor que liga um pequeno aquecedor operado por baterias.
    * O aquecedor vaporiza o líquido, que contém nicotina e outras substâncias contidas no cartucho (e ativa uma luz no final do cigarro eletrônico).
    * O aquecedor também vaporiza propilenoglicol (fumaça teatral), contido no cartucho.
    * O usuário obtém um puff gás aquecido, que se parece muito com a fumaça do cigarro.
    * Quando exalado, ocorre uma nuvem de propilenoglicol, que se parece com fumaça que logo se dissipa.
    * Não contém produtos do tabaco, até a nicotina é sintética.

A Divisão de Análises Farmacêuticas do FDA, agência americana que regula medicamentos e alimentos, analisou os ingredientes em pequena amostra de duas marcas líderes de mercado e detectou que uma amostra continha di etiJenoglicol, um produto químico utilizado como anticongelante, que é tóxico para humanos, e em várias outras amostras a análise detectou carcinogênicos como as nitrosaminas. Portanto, os testes indicaram que os produtos contém níveis detectáveis de carcinogênicos e outros produtos tóxicos com potencial para causar danos ao ser humano.

Devido a suas características, existe a preocupação que este produto aumente a dependência à nicotina e o uso do tabaco entre jovens. Estão disponíveis para compra em sites de internet e são oferecidos em diversos sabores como chocolate e menta, apelos direcionados para o público jovem. Além disso, são vendidos sem nenhuma mensagem sobre os riscos para a saúde.

O FDA e a OMS alertam que o cigarro eletrônico contém agentes cancerígenos e que não há nenhuma evidência que eles ajudam a cessação do tabagismo.

A ANVlSA reforçou estas recomendações e proibiu o comércio e venda dos cigarros eletrônicos no Brasil no final de agosto.

Cigarro eletrônico


    * Cartuchos contém nicotina, diferentes sabores ( menta, chocolate)
    * Disponíveis online e em diversas áreas de compras
    * Não tem mensagens sobre os riscos para saúde
    * Instrumento para aumentar a  dependência da nicotina e uso de tabaco em jovens
    * FDA analisou pequena amostra de duas marcas
    * Contém carcinogênicos (nitrosaminas) e químicos tóxicos (dietilenoglicol)



Fonte: FDA and Public Health Experts warn about e-cigarettes
Imagem do HC da FMB


Jorna Brasileiro de Pneumologia
 

Voltar

© 2017 www.sppt.org.br - Este site é mantido pela Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia
O conteúdo publicado neste site possui caráter meramente informativo. as informações aqui publicadas não devem ser usadas para a execução de diagnósticos, procedimentos ou tratamentos sem prévia orientação médica.
Consulte sempre o seu pneumologista.

Itarget