Data da ultima atualiza�ao
Pulmonar - Pela sua Saúde Respiratória - Leitura 03/08/2012



Notcias

Carnaval tambm tempo de cuidar da sade pulmonar

Departamentos/Equipe SPPT

Uma das festas mais esperadas do ano, com música, dança, fantasias e muita alegria, o Carnaval também é marcado por abusos de todos os tipos. Entre os exageros, uma das maiores preocupações é com o álcool, não raramente consumido em excesso no Brasil.

“Além de diminuir as defesas do organismo, afetar o sistema nervoso central, causar pancreatite e atingir o fígado, o excesso de bebida alcoólica também é prejudicial para o sistema respiratório”, adverte dr. José Eduardo Delfini Cançado, presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

“Boa parte das pessoas se preocupam apenas com os efeitos agudos do álcool no organismo, ou seja, sua relação com os altos índices de acidentes de carro. Mas é preciso ficar atento com as doenças pulmonares, que podem ser desencadeadas ou agravadas pelo consumo exagerado de bebidas alcoólicas”, alerta o pneumologista  dr. Ricardo Milinavicius, diretor da SPPT.

Ao ingerir uma grande quantidade de bebida alcoólica, o indivíduo pode sofrer uma pneumonite química. Trata-se de uma inflamação decorrente da aspiração do suco gástrico pelos pulmões. Seus sintomas são tosse seca, falta de ar e, em algumas situações, febre.

Pacientes com este quadro não devem ficar mais do que 48 horas sem procurar um médico. O problema pode evoluir para outras complicações, como piora dos sintomas, pneumotite bacteriana e pneumonia. Além disso, pode haver a síndrome do desconforto respiratório, um quadro de insuficiência respiratória grave, no qual o individuo será encaminhado para a UTI por necessitar de ventilação mecânica artificial.

“A ingestão exagerada da bebida alcoólica leva ao rebaixamento do nível de consciência, aumentando as chances da aspiração. É preciso ficar atento, pois a entrada de grande quantidade de vômito nos pulmões pode levar à morte por asfixia”, explica o dr. Ricardo.

Além da pneumonite, que é causada pelo álcool, outras doenças podem ser prejudicadas por seu consumo excessivo. Pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), bronquiectasia – distorção ou alargamentos dos brônquios -, asma e bronquite, que são usuários crônicos de medicação, terão em casos de embriaguez maior predisposição a piora dos sintomas da patologia pré-existente e uma chance maior de infecção pulmonar.

“O lembrete continua o mesmo. Se for beber, que seja moderadamente, ingerindo sempre grande quantidade de água para hidratar o organismo, e ter uma alimentação regrada e leve, além de não dirigir sob efeito do álcool. Mas, se possível, evite a bebida alcoólica sempre”, finaliza o dr. Ricardo.




 

Voltar

© 2017 www.sppt.org.br - Este site é mantido pela Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia
O conteúdo publicado neste site possui caráter meramente informativo. as informações aqui publicadas não devem ser usadas para a execução de diagnósticos, procedimentos ou tratamentos sem prévia orientação médica.
Consulte sempre o seu pneumologista.

Itarget