Data da ultima atualiza�ao
Pulmonar - Pela sua Saúde Respiratória - Leitura 03/08/2012



Notcias

Narguil: Uso crescente entre jovens - muitas dvidas e poucas respostas

A origem do Narguilé remonta o século XIV, onde foram achados vestigios no continente Africano. Seu uso no oriente médio está descrito desde o século XVI. O nome narguilé (narghile) tem origem em países como a Síria e a Turquia, entretanto outros sinônimos possíveis são "hookah" (Índia), "shisha" e "goza" (Egito e norte da África).

Alguns estudos indicam que seu uso no Oriente Médio começa próximo dos 25 anos para os homens e 28 anos para a mulheres. Entretanto seu uso nos países ocidentais tem aumentado desde a década de 1990, principalmente em jovens. Seja por modismo, pela maior divulgação em filmes e documentários vindos do Oriente Médio ou pela promessa de ser mais seguro que o cigarro, a disseminação de seu uso em nosso meio é real.

No processo de uso do narguilé o tabaco é queimado com carvão ou madeira, liberando então "fumaça" da queima do combustível e do tabaco. Esta fumaça passa pela água e é então inalada por mangueiras que terminam em bocais. Esta estrutura onde a fumaça passa pela água atribui a ele a falsa impressão de segurança.

Segundo o boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS) a passagem da "fumaça" pela água realmente filtra e absorve alguma nicotina e impurezas. 

Habitualmente o tabagista ou o usuário do narguilé inala nicotina o suficiente para causar os efeitos desejados, sem atingir os efeitos adversos - náuseas, por exemplo, porém quem está fumando o narguilé acaba inalando maior volume de fumaça para atingir o mesmo efeito desejado (da nicotina).

Considerando que em um cigarro comum a dose de tabaco é regulada pela dose de nicotina desejada, mais um problema surge. A quantidade de fumaça inalada, proporcionalmente à mesma dose de nicotina, é maior que no cigarro. Expõe-se então o usuário a mais efeitos tóxicos da queima do carvão (agentes cancerígenos e gases tóxicos, como o monóxido de carbono).

A discussão sobre a comparação entre o cigarro e o narguilé é muito rica, pois não há como quantificar a quantidade exata de fumaça inalada pelos usuários, apenas estimar. Devemos levar em conta que a  frequencia da inalação e volume inalado por "tragada" vai variar de acordo com o grupo social e momento de uso. Estima-se que fumar narguilé corresponde à inalação de 100 a 200 cigarros. Para compreender melhor como isso pode acontecer, utilizamos um cálculo simplificado fornecido pela OMS para avaliar o volume de fumaça inalada:

    *  Um Cigarro:
          o 5-7 minutos de tabagismo
          o 8 a 12 tragadas
          o 40-75mL de fumaça por tragada
          o 0,5 a 0,6L de fumaça inalada por cigarro
    *   Narguilé:
          o 20-80 minutos de sessão
          o 50 a 200 tragadas
          o 150 a 1000mL de fumaça por tragada
          o 7,5 a 200L de fumaça inalada em uma sessão

O uso de narguilé pode causar agudamente os mesmos sintomas que a inalação de qualquer fumaça, como tosse, cefaléia, vermelhidão dos olhos, irritação de vias respiratórias, além dos efeitos da nicotina sobre o cérebro, de prazer e bem-estar bem como causa dependência. Outros componentes presentes nos aromas (ou sabores) podem induzir a dependência independentemente da nicotina.

Não existem estatísticas abrangentes sobre seu uso, qual a faixa etária ou sexo predominante, ou ainda a quantidade de usuários. Poucos estudos sobre o tema foram realizados com os modelos modernos de narguilé, entretanto podemos afirmar de forma geral que seu uso é prejudicial à saúde.

Considerando os dados acima expostos podemos concluir que o narguilé pode causar problemas em diversas áreas da saúde podem ser afetadas:

    * Bocal compartilhado: pode disseminar doenças infecto-contagiosas como o herpes, dentre outras.
    * Nicotina: pode causar dependência e outros efeitos, como vasculopatias (infarto, derrame cerebral, problemas de circulação nas pernas dentre outras) e hipertensão arterial, por exemplo.
    * A fumaça: leva consigo os outros produtos tóxicos da queima do combustível (carvão ou madeira)  e do tabaco, incluindo o monóxido de carbono, e algumas partículas, como o alcatrão, e outras substâncias e toxinas. Estas toxinas produzem irritação nos olhos, nariz e garganta, e ocasionam alergia respiratória em fumantes e não-fumantes. O monóxido de carbono influi inclusive no desenvolvimento fetal e algumas destas substâncias são potencialmente cancerígenas.

Qualquer vício é danoso ao corpo humano e inalar fumaça causa muitos problemas à saúde respiratória.

Se você tem interesse em parar de fumar ou tem algum problema respiratório, procure um pneumologista!
 

Voltar

© 2017 www.sppt.org.br - Este site é mantido pela Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia
O conteúdo publicado neste site possui caráter meramente informativo. as informações aqui publicadas não devem ser usadas para a execução de diagnósticos, procedimentos ou tratamentos sem prévia orientação médica.
Consulte sempre o seu pneumologista.

Itarget