Data da ultima atualizaçao
Pulmonar - Pela sua Saúde Respiratória - Leitura 03/08/2012



Notícias

Chuveiros escondem bactéria que causa doenças respiratórias

da France Presse, em Chicago

Departamentos / Equipe SPPT

Os chuveiros têm risco de oferecer um meio de desenvolvimento ideal para uma bactéria responsável por patologias respiratórias, segundo estudo publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences".

Pesquisadores que analisaram 50 chuveiros situados em nove cidades dos Estados Unidos encontraram em um terço delas uma presença significativa da microbactéria Mycobacterium avium, também conhecida como "MAC".

Este agente patogênico comum se encontrava em concentrações 100 vezes superiores ao habitual nas redes hidráulicas das cidades.

"Se alguém coloca o rosto sob o chuveiro desde que abre a torneira, provavelmente receberá uma forte carga de MAC, e isso não é bom para a saúde", explicou o microbiólogo Norman Pace, da Universidade do Colorado, um dos coautores do estudo.

A equipe de Pace iniciou sua pesquisa depois que estudos do hospital National Jewish de Denver encontraram um possível vínculo entre o aumento recente das infecções pulmonares não tuberculosas e o uso da ducha ao invés da banheira ou do box.

As pessoas em situação de risco são as mulheres grávidas, os idosos e as pessoas cujo imunológico está debilitado.

Os sintomas vão da fadiga a uma sensação geral de mal-estar, passando por uma tosse seca e persistente.

Segundo o estudo, os chuveiros de metal são menos suscetíveis de abrigar a micobactéria que os de plástico.

Para diminuir o risco de contaminação, Laura Baumgartner, da Universidade do Colorado, sugere deixar a água correr durante um minuto antes de entrar no banho --apesar de isso não ser uma atitude ambientalmente correta.

Comentário do Especialista - Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia

Segundo a Dra. Monica Corso Pereira (Diretora de Ensino da Sociedade Paulista de Pneumologia e Professora da Disciplina de Pneumologia da PUC de Campinas), neste artigo os autores investigaram a composição microbiológica do biofilme que se forma na parte interna dos chuveiros domésticos. Durante um banho por meio de um chuveiro, uma pessoa pode inalar micróbios sob a forma de aerossóis.

Para investigar quais os germes potencialmente são inalados nestas circunstâncias, os autores coletaram material de 45 locais (chuveiros domésticos), e pesquisaram as seqüências gênicas aí existentes. Muito surpreendente foi o encontro de seqüências gênicas representativas de micobacterias não tuberculosas e outros patógenos oportunistas, em concentrações até 100 vezes maiores do que aquela encontrada em reservatórios de água.

Dentre as micobactérias reconhecidas, destacam-se a M. gordonae e a M. avium, em 10,5 e 9,1%  respectivamente, do total de seqüências observado.

Embora estejamos em contato direto com um ambiente microbiológico rico, inclusive dentro da própria casa, pouco se sabe da prevalência dos germes mais freqüentes.

A alta freqüência da M. avium, uma bactéria que pode causar doenças em pessoas susceptíveis, levanta a eventual necessidade de que alguns grupos de pessoas evitem, ou pelo menos, minimizem esta exposição.

Fatores de risco associados à infecção pulmonar por micobactérias não tuberculosas incluem tabagismo, doenças pulmonares crônicas, alcoolismo, imunodeficiências genéticas ou adquiridas (como SIDA imunossupressão pós-transplante).

Embora seja um resultado interessante, são necessários novos estudos relativos a esta situação. Talvez, enquanto isso, pacientes imunodeprimidos devam evitar banhos de chuveiro e optar por outros tipos de banhos, nos quais haja menor formação de aerossóis.
 

Voltar

© 2017 www.sppt.org.br - Este site é mantido pela Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia
O conteúdo publicado neste site possui caráter meramente informativo. as informações aqui publicadas não devem ser usadas para a execução de diagnósticos, procedimentos ou tratamentos sem prévia orientação médica.
Consulte sempre o seu pneumologista.

Itarget